2005/04/26

Trinta anos depois…


Tal como o meu 25 de Abril de 1974 está ligado ao dia 24, o 25 de Abril de 1975 está ligado ao dia 26. Isto porque na verdade só na madrugada do dia 26 de Abril (faz hoje 30 anos!) adormeci, depois de um dia extenuante, passado numa dependência fria e escura na Praça de Touros do Campo Pequeno (onde funcionaram secções de voto da freguesia de Nossa Senhora de Fátima), no desempenho da missão de representante de um partido político. Adormeci convencido de Portugal ser, definitivamente, uma democracia, e convencido igualmente da sabedoria do povo que votara, numa percentagem que nunca mais foi alcançada, na eleição para a Assembleia Constituinte. Ainda ontem a televisão recordou como a única estação existente, ainda a preto e branco, dava os resultados quase finais pouco antes das sete da manhã do dia 26. Comentava-se ontem, ao recordar esses momentos: foi nesse dia que se decidiu muito do futuro do país no que diz respeito à vontade dos eleitores, que têm mantido, no fundo, uma constância razoável quando têm sido chamados a votar, não propriamente aos “nomes” dos partidos mas ao que eles acabam por significar em termos de projecto, situando-se sempre em áreas de moderação. Hoje, afastado da política partidária, mas não tendo perdido nenhuma das minhas convicções de então, continuo a pensar que será difícil que os portugueses decidam enveredar por outro caminho, pelo menos nos próximos tempos.

2 comentários:

SaltaPocinhas disse...

Jamais! niguém deixaria. Só tenho pena que muitas pessoas às vezes esqueçam como era a vida antes...principalmente mandarem "crianças" para uma guerra estúpida e inútil que acabou por fazer mal a todos, lá e cá!

Varela de Freitas disse...

A Saltapocinhas
Como poderias esquecer... Não comentei no teu post, mas aquele dia 25 de Abril de 1975 tem duplo significado! Dia bonito para comemorar, não é?