2009/03/30

Talvez valha a pena

Confesso que o meu optimismo tem andado abalado e isso terá contribuído para o meu afastamento de um blog que me entusiasmou, de início, e me proporcionou momentos agradáveis com a meia dúzia de "correspondentes" que me visitavam. A mudança de vida levou-me a perguntar se valeria a pena manter o blog, e de há muitos meses até agora nada restaurou a minha primitiva vontade de escrever e dialogar.

Ontem, porém, aconteceu um facto que me fez pensar.

Há uns quatro anos (em rigor, em 2005-2006) mantive, com os meus alunos de mestrado na Universidade do Minho, um blog de apoio às aulas de Currículo e Cultura (pode ver-se aqui). Foi uma experiência muito interessante, com um bom nível de participação não só em quantidade como em qualidade. Nunca desactivei o blog, e de então para cá houve ex-alunos que ocasionalmente (muito ocasionalmente) publicaram posts: pelo Natal, por exemplo. Eu nunca mais lá voltei. Até ontem.

A meio da tarde, caiu-me na caixa de correio um comentário a um post desse blog publicado em Novembro de 2005. Há quase quatro anos, pois! Era de uma Mãe, que conservou o anonimato, que nos felicitava por termos tratado, nesse post, do problema das crianças indigo (um tema que um aluno levara para a aula e suscitara muito interesse), relacionando-o com problemas que o filho estava a ter na escola.

Fiquei estupefacto por haver ainda leitores de um blog tão específico e fui "espreitar". Através do "site meter" verifiquei que o blog continua, diariamente, a ter leitores que estão espalhados pelo mundo (os números do Brasil são verdadeiramente impressionantes). No total, registaram-se mais de 37,000 visitas!

Fiz o que devia - avisei os meus ex-alunos por e-mail e coloquei um post, respondi à Mãe - e fiquei a pensar se afinal de contas, não estava a ser pouco sério na minha atitude de fuga. Talvez valha a pena, apesar de tudo, não me calar. Talvez valha a pena recuperar o optimismo. Talvez valha a pena... recuperar a minha memória flutuante... Para já, reinstalei o "site meter", que não sei porque razão tinha desaparecido. Talvez valha a pena...

3 comentários:

PJ disse...

Caro Professor:
Felicito-o por voltar a escrever no Memória Flutuante, um dos blogues que em tempos lia com alguma regularidade. Gostava, em particular, de ler as memórias que ia desfiando, em particular as que se que se referiam ao mundo da educação, bem como a sua apreciação serena dos muitos problemas que o nosso sistema educativo enfrenta.
Bem vindo de novo.

Anónimo disse...

Sr. Professor,
sou a Mãe que deixou o comentário de que aqui fala. Neste momento, estou emocionada a lê-lo. Apenas pelo sentimento de ter sido compreendida, pela importância que sei que a Educação tem, ou melhor, um novo olhar à Educação que urge lançarmos e que o Sr. tem...não o perca de vista, por favor.

Há uns tempos atrás, movida por uma conversa com o meu filho, também fiz um blog (a que também quase esqueci, onde fiz um post sobre a visão do meu filho da "escola ideal"

http://planetazulin.blogspot.com/2008/11/escola-ideal.html
deixo-lhe aqui o link

Mais um abraço de gratidão

Maria

Varela de Freitas disse...

Agradeço ao PJ e à Maria as palavras que deixaram aqui. Infelizmente continuo irregular, à imagem do país... Vamos a ver se consigo ser mais produtivo!
(Para a Maria: vou passar pelo blog e depois direi alguma coisa)