2005/08/11

A propósito de vencimentos


A minha entrada de ontem suscitou comentários acerca dos vencimentos auferidos em épocas mais recuadas. Por isso, creio ser interessante proporcionar o acesso a um documento on-line, um conjunto de estudos sobre a situação social em Portugal – 1960-1999, da autoria de um grupo coordenado por António Barreto no Instituto de Estudos Sociais (esse estudo existe em livro). Estão publicadas nesse estudo tabelas sobre a evolução dos vencimentos da função pública. A partir daqui (tabela 10.21, Vencimentos mensais da função pública 1936-1997) poder-se-á ter acesso a muitas outras tabelas clicando “tabela seguinte”. Se se clicar em “tabela anterior” a informação será de outra ordem, mas também interessante.

Por este quadro se vê que um professor do ensino secundário no escalão mais baixo ganhava pouco mais de um terço de um Director-Geral. Se não me engano, por essa altura um professor do ensino primário ganharia qualquer coisa como 1750$00.

4 comentários:

K2ou3 disse...

Não vi, nem quero, as tabelas de que falas. entre 1976 e 1994, deve ser, no minimo, estonteante.
Ficou-me no entanto uma das tus frases:
" um professor do ensino secundário no escalão "MAIS BAIXO" ganhava "pouco mais de um terço", (as aspas são minhas), do que um Director-Geral...).
E hoje, qual a comparação relativa???, não só para os professores, mas para a generalidade da função publica ou funcionários de empresas do estado ???.
Isto sem contar com indemnizações por antecipação de fim de comissões de serviço e reformas antecipadas.
Meu caro Varela, ainda apanhaste bons tempos!.

K2ou3 disse...

E tanto mal que se fala de Salazar e Marcelo Caetano.
Vnham elas candidatar-se á Presidencia. Eu voto!.

k2ou3 disse...

Obrigado Varela!.
Disse num comentário anterior que nem queria consultar a tabelas de que falas. Mas....
A natureza humana, (a curiosidade e a vontade de aprender mais), levou-me a seguir o teu link.
Ficou registado e vou fazer uma análise mais aprofundada. O trabalho parece merecer.

Obrigado!.

Varela de Freitas disse...

A k2ou3

È tudo muito relativo! Em termos de vencimentos, não penso que os "meus tempos" fossem melhores, a não ser pela conjuntura (na verdade, a ausência de inflação era importante). E o nosso tipo de vida não tinha comparação com o actual...